skip to Main Content

VACINA DA GRIPE (INFLUENZA VIRUS) E ALERGIA AO OVO

A maioria das Vacinas da Gripe são cultivadas em fluidos de embriões de frango e como resultado contem uma pequena quantidade de proteína de ovo. Assim, há um risco teórico de induzir uma reação alérgica ao administrar tal vacina para indivíduos com alergia ao ovo. No entanto, a quantidade destas proteínas nas vacinas diminuiu significativamente ao longo dos anos, e todas as vacinas baseadas em ovo agora têm níveis extremamente baixos de proteína de ovo. De outro lado muitos pacientes alérgicos estão em risco aumentado de complicações pela infecção com a Gripe, incluindo crianças pequenas, idosos, aqueles com um histórico de asma ou chiado, imunossupressão ou imunodeficiência, mulheres grávidas, etc. Existem atualmente numerosos estudos demonstrando que a Vacina da Gripe cultivada em ovos é segura mesmo em indivíduos com alergia ao ovo; resolvendo preocupações de longa data sobre um risco aumentado de reações alérgicas à vacina nesta população. Considera-se então que, em geral, a reação alérgica induzida pela Vacina da Gripe é um fenómeno raro. Em consequência, atualmente recomenda-se que todos os pacientes com idade igual ou maior a 6 meses, com alergia ao ovo, incluindo aqueles com uma história de anafilaxia associada à alergia ao ovo, recebam imunização anual com Vacina da Gripe de acordo  com as indicações e contra-indicações padrão, sem precauções especiais, como com outros pacientes sem alergia ao ovo. Ainda mais,  o Teste Cutâneo com a Vacina da Gripe antes da sua administração em pacientes com alergia ao ovo, não é mais sugerido; porem, é ainda indicado ao avaliar um paciente com uma história de reação à própria vacina, diferente de uma história da reação ao ovo. Assim, os pacientes com um histórico de uma reação alérgica à Vacina da Gripe devem ser encaminhados ao especialista em Alergia e Imunologia para avaliação. Reações alérgicas à Vacina da Gripe, incluindo anafilaxia, ainda podem ocorrer, como acontece com qualquer outra vacina. Estas reações são extremamente raras e podem ser causadas pelo próprio agente de imunização ou pelos outros componentes que são introduzidos na vacina durante o processo de produção, diferentes da proteína do ovo. Então, continua válida a recomendação de que qualquer centro que administre qualquer vacina para qualquer indivíduo deve ter o pessoal, medicamentos e equipamentos disponíveis para tratar uma potencial reação alérgica.

Dr. Javier Ricardo Carbajal Lizárraga.

Especialista em Alergia e Imunologia.

Crianças e adultos.

RQE 21798. CRM/SP 92607.

Gostou do texto? Compartilhe com seus amigos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Back To Top
Search