skip to Main Content

Imunoterapia Específica para Alergia

O tratamento atual da Rinite, Rinoconjuntivite, Rinosinusite e Bronquite ou Asma alérgicas sustenta-se de quatro pilares:

  • As medidas destinadas a evitar contato com o alérgeno ou agente desencadeante das crises (controle ambiental);
  • O tratamento medicamentoso;
  • A informação dos pacientes e
  • A Imunoterapia Específica para alergia.

shutterstock_369494954A idéia da aplicação intermitente de alérgenos como método para o tratamento de alergias tem sido registrada desde antigo; aparentemente proveniente da observação comum que picadas repetidas de abelhas que ocorrem amiúde em apicultores, induzem perda de reatividade ao veneno deste inseto, protegendo aqueles apicultores de futuras picadas. Esta idéia foi aplicada de diversas formas desde o início do século passado, como um método de tratar as reações graves ao veneno de abelha e logo depois de vespa; de forma que atualmente a Imunoterapia para Alergia ao Veneno de Abelha e Vespa é de eficácia notável; sendo no consenso internacional o tratamento de escolha para estas formas de alergia.

shutterstock_398333071Leonard Noon, Médico Imunologista do Department for Therapeutic Inoculation, St. Mary’s Hospital, Londres; introduziu, quase simultaneamente, a imunoterapia com alérgenos para tratar a Rinite Alérgica (na época conhecida como “Febre do Feno”); o resultado do seu trabalho foi publicado num artigo na revista médica Lancet em 1911. A evidência científica acumulada desde então tem permitido demonstrar a eficácia da Imunoterapia no tratamento da Rinite, Conjuntivite e Asma causadas por aero-alérgenos.

Atualmente a Imunoterapia Específica para Alergia (também chamada de Dessensibilização, Hipossensibilização, Vacinas para Aleshutterstock_83198842rgia, etc.); consiste em uma série de injeções subcutâneas de extratos purificados de alérgenos específicos, com o objetivo de reduzir a reatividade do paciente ao alérgeno em questão e dessa forma, diminuir progressivamente a freqüência e intensidade das crises, a necessidade de medicação e a progressão da doença alérgica.

Este tratamento foi endossado pela Organização Mundial da Saúde em Documento de Opinião publicado em 1998 e vários outros publicados posteriormente. As vacinas de aplicação oral têm ainda sua eficácia questionada, embora possa se considerar sua aplicação para certos casos.
shutterstock_377154079Quando corretamente indicado, aplicado com rigor científico e por profissionais qualificados e experientes, a Imunoterapia Específica com alérgenos constitui uma ferramenta insubstituível no tratamento da Rinite, Conjuntivite e Asma alérgicos, como na Alergia provocada pelo Veneno de Himenópteros (vespa, abelha e formiga).
Como reconhecido pelo Conselho Federal de Medicina, são os médicos especialistas em Alergia e Imunologia os únicos profissionais treinados e capacitados na indicação e condução da Imunoterapia Específica para Alergia.

Dr. Javier Ricardo Carbajal Lizárraga.
Especialista em Alergia e Imunologia.
CREMESP 92607.

Gostou do texto? Compartilhe com seus amigos!
Back To Top
Search