skip to Main Content

Imunoterapia para Alergia: Como funciona?

A meta da Imunoterapia para alergia é conter a reação alérgica  do paciente. Assim é possível reduzir a frequência das crises e a necessidade de medicação.

Se você sofre com doenças como rinite, bronquite ou asma, não deixe de ler este artigo para entender melhor sobre o tratamento para alergias de difícil controle!

Tratamentos para alergias

Atualmente o tratamento para doenças como Rinite, Rinoconjuntivite, Rinosinusite e Bronquite ou Asma alérgicas sustenta-se de quatro pilares:

  • As medidas destinadas a evitar contato com o alérgeno ou agente desencadeante das crises (controle ambiental);
  • O tratamento medicamentoso;
  • A informação dos pacientes;
  • A Imunoterapia Específica para alergia.

imunoterapia para alergia

A ideia da aplicação intermitente de alérgenos como método para o tratamento de alergias tem sido registrada há muito tempo.

De acordo com o que sabemos, esse tratamento foi proveniente da observação comum que picadas repetidas de abelhas, ocorrência frequente em apicultores, induzem redução de reatividade ao veneno desse inseto. Assim, é possível proteger os apicultores de futuras picadas.

Essa ideia tem sido aplicada de diversas formas desde o início do século passado. A princípio foi iniciado como um método de tratar as reações graves ao veneno de abelha e, logo depois, de vespa.

Dessa maneira, atualmente, a Imunoterapia para Alergia ao Veneno de Abelha e Vespa é de eficácia notável. Sendo assim, no consenso internacional, o tratamento de escolha para estas formas de alergia.

Imunoterapia para tratar Alergia

mulher com alergia espirra

Leonard Noon, Médico Imunologista do Department for Therapeutic Inoculation, St. Mary’s Hospital, Londres; introduziu, quase simultaneamente, a imunoterapia com alérgenos para tratar a Rinite Alérgica. Na época, a doença era  conhecida como “Febre do Feno”.

O resultado do seu trabalho foi publicado em um artigo na revista médica Lancet, em 1911. A partir daí, a evidência científica acumulada tem permitido demonstrar a eficácia da Imunoterapia no tratamento da Rinite, Conjuntivite e Asma causadas por aero-alérgenos.

Hoje em dia a Imunoterapia Específica para Alergia (também chamada de Dessensibilização, Hipossensibilização, Vacinas para Aleimunoterapia para alergiargia etc.), consiste em uma série de injeções subcutâneas de extratos purificados de alérgenos específicos.

Dessa forma seu objetivo é de reduzir a reatividade do paciente ao alérgeno em questão. E assim diminuir progressivamente a frequência e intensidade das crises, além da necessidade de medicação e a progressão da doença alérgica.

Esse tratamento foi endossado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em Documento de Opinião, publicado em 1998. Além de vários outros publicados posteriormente.

As vacinas de aplicação oral têm ainda sua eficácia questionada, embora possa se considerar sua aplicação para certos casos.

Em suma, quando corretamente indicado, aplicado com rigor científico e por profissionais qualificados e experientes, a Imunoterapia Específica com alérgenos constitui uma ferramenta insubstituível no tratamento da Rinite, Conjuntivite e Asma alérgicos. Assim como na Alergia provocada pelo Veneno de Himenópteros (vespa, abelha e formiga).

Por fim, é importante dizer que os médicos especialistas em Alergia e Imunologia os únicos profissionais treinados e capacitados na indicação e condução da Imunoterapia Específica para Alergia. Como reconhecido pelo Conselho Federal de Medicina.

 

Achou o artigo útil? Quer saber mais sobre tratamentos imunológicos? Leia nossa matéria sobre  Terapia de reposição / Pulsoterapia com Imunoglobulina: entenda como funciona.

Dr. Javier Ricardo Carbajal Lizárraga.
Especialista em Alergia e Imunologia.
CREMESP 92607.

Gostou do texto? Compartilhe com seus amigos!
Back To Top
Search