skip to Main Content

Imunodeficiência Primária: entenda o que é

Quase todos nós temos uma infecção de vez em quando. Talvez, seja uma infecção menor como resfriado, tosse, diarreia, sinusite ou um corte que infecciona. Às vezes, no entanto, é algo mais grave, como pneumonia ou meningite.

A maioria das pessoas esperam se recuperar rapidamente destas infecções. Mesmo porque, as defesas do nosso corpo, às vezes com a ajuda de antibióticos, conseguem eliminar os germes que causam a infecção. Assim, ficamos protegidos contra novos germes no futuro.

No entanto, alguns de nós nascem ou desenvolvem um sistema de defesa imunológico que não é capaz de eliminar as infecções de forma eficiente. Com isso, essas pessoas carecem de algumas das armas de defesa imunológica do organismo. Ou seja, elas possuem uma Imunodeficiência Primária.

O que é Imunodeficiência Primária

Como dito na introdução do texto, a Imunodeficiência Primária é consequência de um sistema imunológico desprovido das armas de defesa.

Indivíduos com Imunodeficiência Primária, lactantes, crianças, ou adultos, têm uma infecção após outra.

Com isso, doenças como otite, sinusite e pneumonia podem não melhorar com o tratamento conforme o esperado. Além de terem a tendência a voltar.

Esse fato também pode ocorrer com infecções menos comuns, porém, mais graves, como pneumonia, meningite e sepse.

Consequências da Imunodeficiência Primária

Além de serem dolorosas, assustadoras e frustrantes, estas infecções recorrentes podem causar danos permanentes a alguns órgãos do corpo. Entre eles, os ouvidos, pulmões, rins, aparelho digestivo e/ou o cérebro.

Dessa forma, germes que causariam apenas infecções leves em pessoas com sistema imunológico saudável, podem causar infecções graves ou fatais em quem tem Imunodeficiência Primária.

Por isso, o diagnóstico e o acompanhamento médico se fazem de extrema importância nesses casos.

A terapia com Imunobiológicos ou Biológicos, por exemplo, tem se mostrado bastante eficaz nesses casos. Para entender melhor como funciona o tratamento, não deixe de ler este artigo sobre o tema.

 

Fonte: http://primaryimmune.org
Dr. Javier Ricardo Carbajal Lizárraga.
CREMESP 92607.
Especialista em Alergia e Imunologia.

Gostou do texto? Compartilhe com seus amigos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Back To Top
Search