skip to Main Content

Alergia de medicamentos em crianças

Quando questionados em consultório, cerca de 10% dos pais relatam suspeita de alergia de medicamentos em pelo menos um dos seus filhos.

Ainda assim, só metade destes episódios são diagnosticados por médicos. E somente algumas destas reações podem ser confirmadas como alérgicas após avaliação pelo especialista.

Como saber se é alergia de medicamentos?

Ainda há uma falta de conhecimento sobre a epidemiologia, espectro clínico e métodos de diagnóstico adequados para alergia de medicamentos, particularmente em crianças.

Medicamentos podem provocar reações adversas (não desejadas) por diferentes mecanismos. Porém, apenas algumas delas são verdadeiramente alérgicas.

Alergia de medicamentos

Urticária e/ou angioedema são as condições mais comuns em crianças que alertam os pais para consultar o médico em relação à possibilidade de alergia de medicamentos.

O enfoque de alergia de medicamentos durante a infância é atualmente sugerido como sendo o mesmo que em adultos. Assim, as mesmas ferramentas utilizadas para o diagnóstico e tratamento em adultos são aplicadas em crianças.

Porém, ainda que isso pareça geralmente aceitável, existem características pediátricas específicas que devem ser tomadas em consideração sobre fatores causais, métodos diagnósticos e tratamento farmacológico.

Como o diagnóstico em crianças deveria ser feito

Um diagnóstico causal preciso é um pré-requisito essencial para uma abordagem e tratamento bem sucedido.
Afinal, a maioria das supostas reações alérgicas a medicamentos nas crianças ainda são equivocadamente atribuídas a antibióticos betalactâmicos (Penicilina e derivados).

Além disso, reações alérgicas para alimentos são mais frequentes em crianças do que em adultos. Podendo provocar quadros de urticária, angioedema e até anafilaxia, que podem ser erroneamente associados com medicamentos.

Ainda, quadros como infecções virais eruptivas são particularmente frequentes em crianças, tornando o diagnóstico bastante desafiador.

Portanto, o diagnóstico diferencial pode ser difícil e equívoco quando baseados apenas no histórico espontaneamente referido pelo paciente e testes de diagnóstico com baixa especificidade.

Reações alérgicas mais comuns

Anti-inflamatórios não esteroides (AINEs) são o mais importante grupo de drogas envolvidos em reações adversas a medicamentos. E eles incluem compostos heterogêneos com estruturas químicas muito diferentes.

Estas reações podem ser dependentes de mecanismos verdadeiramente alérgicos ou induzidas por um mecanismo não imunológico específico (intolerância medicamentosa). Também as reações de Alergia de medicamentosintolerância cruzada são comuns entre todos os AINEs e ainda entre eles e Dipironas e/ou Aspirinas.

Uma anamnese detalhada, exame físico e bom conhecimento dos processos imunológicos é a chave para a identificação dos fatores relevantes.

Assim como os testes cutâneos de diagnóstico, que são baseados na capacidade da pele para responder à droga culpada. No entanto, sua sensibilidade para medicamentos é na maioria dos casos bastante baixa.

Até o momento, nenhum exame específico está disponível para a pesquisa laboratorial das reações alérgicas a medicamentos ou intolerância medicamentosa na prática de consultório. Por outro lado, todos os testes de diagnóstico solicitados devem ser adaptados à criança.

teste cutâneo alergia

Dessa forma, antes de requisitar um teste, especialmente em crianças, o médico deve considerar cuidadosamente a utilidade do seu resultado.

O exame deve ter um efeito prático, em última análise, permitindo melhor manejo da doença para a criança em particular.

Por fim, o tratamento visa proporcionar alívio dos sintomas. Porém, a eliminação dos fatores gatilho ou causas subjacentes é o que dá melhores resultados.

Portanto, é o primeiro conceito no tratamento de alergia de medicamentos em crianças.

 

Dr. Javier Ricardo Carbajal Lizárraga.
CREMESP 92607.
Especialista em Alergia e Imunologia.

Gostou do texto? Compartilhe com seus amigos!
Back To Top
Search